GLOSSÁRIO



A
B C D E F G H I J K L M N O P R S T U V W


A

Absorção: Atenuação de um sinal eletromagnético por sua conversão em calor.

Acesso: Modo pelo qual um assinante pode se conectar a rede de telecomunicações, como pares de fios Metálicos, Fibras Ópticas, ondas de rádio, via satélite, TV a Cabo, etc.

Acoplador: Dispositivo que permite combinar (misturador) ou separar (derivador ou "splitter") sinais.

Acoplador estrela: Elemento ótico que permite a conexão de muitas fibras a uma única.

Acrilato: O tipo de resina acrílica mais usada como revestimento da fibra óptica.

ADSL: Assymetric Digital Subscriber Line (Linha de Assinante Digital Assimétrica) - tecnologia que possibilita, através de fios telefônicos já instalados na casa do usuário, o alcance de velocidades de transmissão de dados de até oito Mbps no sentido downstream e 1Mbps no sentido upstream.

Amplificador óptico: Dispositivo que amplifica sinais ópticos sem a conversão destes em sinais elétricos. Podem ser usados no meio da linha, como os repetidores, ou acoplados ao transmissor ou receptor, aumentando a distância de transmissão sem estações intermediárias, melhorando sensivelmente a confiabilidade dos enlaces ópticos.

Amortecedor: Um revestimento protetor sobre a fibra.

Ângulo de Aceptância: É o ângulo dentro da qual o núcleo de uma fibra óptica aceita a luz que é "injetada" no mesmo. Normalmente este ângulo é medido em relação ao eixo da fibra e está relacionado à abertura numérica.

Ângulo crítico: Maior ângulo de incidência de uma onda que ao atingir outro meio de índice de refração menor, ainda ocorre refração. A partir desse ângulo a onda seria inteiramente refletida de volta ao primeiro meio de propagação.

APC: Angled Physical Contact - (Contato Físico Angular).

Aramida: Material dielétrico sintético, em forma de fibras, muito leve, de grande resistência mecânica à tração. É usado em substituição ao aço como reforço de resistência à tração em cabos. É muito conhecido por uma de suas marcas comerciais: kevlar.

Armário Óptico: Solução amplamente utilizada na opticalização (fibra óptica) de redes de acesso, que permite levar acessos a assinantes remotos permitindo oferecer serviços de telefonia, internet, TV a cabo e multimídia. Geralmente os Armários Ópticos são instalados bem próximo dos assinantes, que garante alta qualidade do sinal, no lado do usuário.

Atenuação: Perda de potência de um sinal ao longo de sua propagação. Em geral é medida em dB ou dB/km. As principais causas de atenuação em uma fibra óptica são devidas à absorção por impurezas ou por íon OH-, espalhamento por irregularidades na deposição do material, trincas e deformações ou ainda devido a fatores externos, como emendas e conexões aos equipamentos.


 

TOPO

B

Backbone: Rota de longa distância.

Backhaul: É a extensão dentro do país de uma linha de comunicação internacional. Por exemplo, o cabo submarino Américas-II, que termina em Fortaleza, necessita de backhaul para chegar até São Paulo e Rio de Janeiro, onde estão as maiorias de seus usuários.

Banda: O mesmo que faixa de freqüências. É a porção do espectro de freqüências compreendida por duas freqüências-limite. A largura de banda é a diferença entre essas duas freqüências, independentemente de onde elas estão no espectro.

Banda A: Faixas de freqüência destinadas à telefonia celular, que serão exploradas por exploradoras públicas, como as 27 empresas do Sistema Telebrás.

No sentido ERB - telefone celular, a banda A compreende: 869 MHz a 870 MHz (A"); 870 MHz a 880 MHz (A"); e 890 MHz a 891,5 MHz (A"). no sentido telefone celular - ERB, a banda fica assim: 824 MHz a 825 MHz (A"); 825 MHz a 835 MHz (A"); e 845 MHz a 846,5 MHz (A").

Banda B: Faixas de freqüência também destinadas à telefonia celular, que serão exploradas pela iniciativa privada, concorrendo com as operadoras da banda A.

No sentido ERB - telefone celular, a banda é assim composta: 880 MHz a 890 MHz (B); e 891 MHz a 894 MHz (B'). no sentido telefone celular - ERB, tem-se 835 MHz a 845 MHz (B); e 846,5 MHz a 849 MHz (B').

Banda C: Nome pelo qual estão sendo chamadas as faixas de 1,8 GHz (PCN) e 1,9 GHz (PCS).

Banda de guarda: Faixa de freqüências sem uso entre dois canais, de forma a evitar interferências mútuas. Bandwidth (Largura da Banda): Termo que (na linguagem comum) designa a quantidade de informação passível de ser transmitida por unidade de tempo, num determinado meio de comunicação (fio, onda rádio, fibra óptica etc). Normalmente medida em bits por segundo, kilobits por segundo, megabits por segundo, kilobytes por segundo, megabytes por segundo. Em canais analógicos, a largura de banda é medida em hertz, mas é comum falar-se sempre em Kbps, Mbps etc.


TOPO

C

Cabo geleado: Cabo que possui seus interstícios preenchidos por um composto pastoso (geléia) com o objetivo de protegê-lo contra a penetração de água.

Cabo óptico: Cabo que contém uma ou várias fibras ópticas destinadas à transmissão de sinais.

Casca: Camada externa da fibra óptica, composta de material de baixo índice de refração, que envolve o núcleo, fornecendo-lhe isolação óptica.

Caixa de emenda óptica: Dispositivo protetor de emendas de fibras ópticas.

Colapsamento: Compactação do tubo óptico para retirada de todos os interstícios (bolhas), resultantes do processo de deposição ou encamisamento, transformando-o em um bastão sólido e transparente (pré-forma). É realizado com alta temperatura e vácuo.

Comprimento de onda: Distância percorrida em um ciclo pela frente de onda. Pode ser calculado pela divisão Conector óptico: Dispositivo instalado na extremidade de uma fibra óptica permitindo acoplamento físico e óptico com um equipamento ou uma outra fibra.

Conversor de sinais elétrico para sinais ópticos: É um dispositivo que converte os sinais elétricos que vêm por banda base em sinais ópticos. Para isso, esse dispositivo utiliza um transmissor de sinais ópticos.

Conversor de sinais ópticos para sinais elétricos: É um dispositivo que converte os sinais ópticos enviados pelo transmissor em sinais elétrico em banda base. Para isso, esse dispositivo recebe os sinais luminosos através de um receptor de sinais ópticos.

Cordão óptico: Cabo óptico com uma única fibra, destinado à ligação de equipamentos ópticos.


TOPO

D

dBi: Unidade de comparação usada para definir ganho (ou diretividade) de uma antena. Por exemplo, uma antena de 13 dBi direciona para determinada região uma potência 19,95 vezes maior do que para outras regiões, já uma antena de 14 dBi essa proporção é de 25,11 e uma antena de 17 dBi essa proporção sobe para 50,12. dBd: o princípio é o mesmo do dBi, e os dois têm uma proporção constante: o valor em dBi é sempre 2,15 unidades maior que o dBd. Exemplo: um ganho de 13 dBi equivale a um ganho de 10,85 dBd. Um ganho de 17 dBi equivale a 14,85 dBd.

dBm: Medida de potência em comunicações: o decibel com referência a um miliwatt. Zero dBm = 1 miliwatt, com relação logarítmica à medida que os valores aumentam.

Decibel (dB): Unidade de medida muito usada em telecomunicações para expressar a relação entre duas variáveis, normalmente potências de sinais da velocidade de propagação da onda por sua freqüência. atenuados ou amplificados. Corresponde a um décimo do Bel e pode ser calculado como: 10. log (P1 / P2), sendo P1 e P2 as duas variáveis a serem comparadas.

Dielétrico: Meio não metálico e não condutor de eletricidade.

Diodo Laser De Injeção (ILD): Uma fonte de luz coerente. Laser semicondutor no qual a geração da luz coerente ocorre em uma junção P-N e a energia necessária para alcançar e manter a inversão de população é fornecida através de injeção de corrente.

Dispersão: A causa de limitações de largura de banda numa fibra. A dispersão causa o alargamento dos pulsos ao longo do comprimento da fibra, resultando em distorção do sinal transmitido.

Dispersão Cromática: Dispersão causada pela diferença de velocidade dos diferentes comprimentos de onda que compõem o espectro da luz transmitida.

Dispersão Modal: Dispersão causada devido aos diferentes modos (caminhos) de propagação em uma fibra óptica multimodo.

Dispersão De Rayleight: Espalhamento da luz causado pela flutuação na densidade do material causando pequeníssimas mudanças no índice de refração. É uma das principais causas da atenuação de uma fibra óptica.

Distorção: Mudança não desejada na forma de onda que ocorre entre dois pontos em um sistema de transmissão.

Dopagem: Introdução de um elemento dopante à sílica, para mudar seu índice de refração.

Dopante: Substância usada na dopagem, normalmente germânio ou óxido de boro.

DWDM: Dense Wave Division Multiplexing - Tecnologia que permite trafegar muitos canais de alta velocidade, como 2.5Gbps, em um único par de fibras ópticas. Esta tecnologia permite trafegar, por exemplo, até 40Gbps.


TOPO

E

Emenda óptica: União permanente ou temporária de duas pontas de fibras por técnicas mecânicas ou de fusão. Na emenda por fusão, as fibras são decapadas de seu revestimento, clivadas (cortadas) em suas extremidades, alinhadas e fundidas por um arco elétrico, recebendo no final um invólucro protetor. Nas emendas mecânicas, as fibras recebem o mesmo tratamento, porém não são fundidas, mas apenas fixadas alinhadas por meio de um conector.

Encamisamento: Revestimento externo de um bastão de pré-forma com um outro tubo de sílica que passará a fazer parte da casca da fibra. É uma técnica usada para aumentar a produtividade de uma linha de produção de pré-formas.

Enlace óptico: Um transmissor e um receptor conectados por um cabo óptico. Espectro óptico: Faixa de comprimentos de onda da radiação óptica (infravermelho + radiação visível + ultravioleta).


TOPO

F

Fibra Óptica: Tipo de cabo feito de cristal de quartzo muito fino que permite o tráfego de grandes pacotes de informações em altíssima velocidade (2 bilhões de bits por segundo - 2 GBp/s) por meio de luz de 850 nm de comprimento de onda, (multimodo) e que em geral é utilizado para a troca de pulsos informações entre grandes distâncias (aproximadamente 2.5 Km).

Fibra Óptica Dispersão Deslocada (DS): Dispersion Shifted - Tipo de fibra monomodo em que as condições de dispersão cromática nula foram deslocadas da janela de 1310 nm para a janela de 1550 nm, onde as perdas de transmissão são menores.

Fibra Óptica Monomodo (SM): Single Mode - Tipo de fibra óptica na qual apenas um modo se propagará, fornecendo o máximo em largura de banda. Tem que ser utilizada com fontes de luz laser. Tem menor atenuação e, portanto, pode transmitir sinais a grandes distâncias. É a fibra padrão ou standard para telecomunicações.

Dispersão deslocada: Aproximadamente 80% da luz é transmitida pelo núcleo (10 mm) e 20% pela casca ao redor, portanto chamado de campo de modo.

Fibra Óptica Multimodo (MM): Multi Mode - Tipo de fibra óptica que permite que mais de um modo se propague, apresentando normalmente altas taxas de atenuação. Não necessita de fonte de luz coerente, tornando os transmissores e receptores mais baratos que os monomodo. São excelentes soluções para redes de dados em distâncias de até apenas alguns quilômetros. Sinal transmitido inteiramente dentro do núcleo (50 mm a 62,5 mm), normalmente usadas em LANs e CATV.

Fibra Óptica NZD: Non Zero Dispersion Fiber (Dispersão Deslocada e não nula) - Transmissão de longas distâncias e com altas faixas, acima de 2,5 Gbps. Fonte: O meio (normalmente LED ou laser) utilizado para converter um sinal elétrico em um correspondente sinal óptico.

Fotodiodo: Dispositivo utilizado para converter sinais ópticos em sinais elétricos. Fotodiodos de avalanche (APD): Fotodiodos que combinam a detecção de sinais ópticos com amplificação interna da fotocorrente. O ganho interno é percebido através da multiplicação avalanche de transportadoras na região da junção. Sua vantagem é uma razão elevada de sinal-ruído, especialmente, a altas taxas de bits.

FTTC: Fiber-To-The-Curb (Fibra até a Calçada) - tecnologia para transmissão de TV a cabo digital, dados e telefonia que leva o sinal através de fibra óptica até o quarteirão e, de lá, é derivado para par trançado ou cabo coaxial até a casa do usuário.


TOPO

G

Giga (G): Unidade que equivale a 1 bilhão = 109. Exemplo: 1 Giga Hertz (GHz) = 109 Hertz.

Guia de ondas: Estrutura condutora ou dielétrica capaz de suportar e propagar um ou mais padrões de campo eletromagnético (modos). Exemplo: Fibra Óptica.


TOPO

H

HFC: Hybrid-Fiber-Coax (Híbrido Fibra-Coaxial) - tecnologia utilizada por TV a cabo analógica e digital em que a fibra sai da central até uma região da cidade e, de lá, é derivada para cabos coaxiais que contêm o sinal de TV. É a tecnologia utilizada pelas operadoras de TV a cabo no Brasil e na maior parte do mundo.


TOPO

I

Impedância: Oposição ao fluxo dinâmico corrente em um meio de transmissão.

Índice de refração: Propriedade de um meio de transmissão óptico, correspondente à proporção entre a velocidade da luz no vácuo e a sua velocidade no meio de transmissão.

Infravermelho: Radiação óptica com comprimentos de onda maiores do que aqueles da radiação visível, aproximadamente entre 800 nm e 1 mm.

Intensidade (I): É a potência por unidade de ângulo.

Irradiância (E): É a potência por unidade de área.

ITU: International Telecommunications Union - Organismo internacional voltado ao aprimoramento e orientação das telecomunicações no mundo.


TOPO

J

Janela de Ttransmissão: São os comprimentos de onda de operação de uma fibra óptica, para o qual a atenuação da mesma tem um ponto de mínimo. São usadas três janelas: · 1ª janela: 850 nm - Aplicável apenas a fibras multimodo. · 2ª janela: 1310 nm - Aplicável a fibras multimodo ou monomodo. · 3ª janela: 1550 nm -Aplicável apenas a fibras monomodo.

Jumper: Pequeno lance de cordão óptico, conectorizado nas duas pontas. Usado para a conexão de equipamentos ópticos.


TOPO

K

Kevlar: Um dos nomes comerciais para aramida.


TOPO

L

LAN: Local Area Network (Rede de Área Local) - conceito que define as interligações de computadores que se encontram em um mesmo prédio. As tecnologias mais utilizadas para as LANs são: Ethernet, Fast Ethernet, FDDI e ATM.

Largura de banda: Expressa a quantidade de informações que um sistema tem capacidade de transportar. Em sistemas analógicos, é a diferença entre as freqüências máxima e mínima que podem ser transportadas. Exemplo: canal de voz que transportam sinais de 300 a 3000 Hz tem largura de banda de 2700 Hz. Em sistemas digitais, é a máxima freqüência de operação. Exemplo: Sistemas STM-16 tem largura de banda de 2,5 Gbit por segundo.

Laser: Light Amplification by Stimulated Emission of Radiance - Fonte de luz coerente com estreita largura de banda espectral. LED: Light Emitting Diodes (Diodo Emissor de Luz).

Loose: Tipo de construção de cabos ópticos, onde as fibras não estão fisicamente vinculadas ao elemento de tração do cabo. Normalmente as fibras ficam soltas dentro de tubetes plásticos cordados em torno de um elemento central. Luz: Radiação visível; qualquer radiação óptica capaz de causar uma sensação visual em um observador.

Luz coerente: Luz monocromática com ondas de mesmo comprimento, mesmo plano de vibração e mesma fase.


TOPO

M

MAN: Metropolitan Area Network (Rede de Área Metropolitana) - conceito que define as interligações de redes locais (LANs) que se encontram em uma mesma cidade ou campus. As MANs utilizam tecnologias de LAN e WAN.

Mega (M): Unidade que equivale a 1 milhão = 106. Exemplo: 1 MegaHertz (1 MHz) = 106 Hertz.

Microcurvaturas: Causas de atenuação incremental em uma fibra óptica. Normalmente são motivadas por: a) ter a fibra encurvada à volta de um raio restritivo de curvatura; b) pequeníssima distorção na fibra, imposta por perturbações externamente induzidas. Comumente associadas a uma extrusão ruim da fibra óptica ou deficiências na fabricação do cabo.

Mícron: Unidade de medida que equivale a um milionésimo de metro = 10-6 metro.

MMDS: Multichannel Multipoint Distrbution Services - Internet sem fio, mesma tecnologia que leva a TV por assinatura. Sua antena pode conectar-se via radiofreqüência a um backbone internet, permitindo acesso unidirecional com velocidade variando entre 64 Kbps e 1,5 Mbps.

Misturador: Acoplador de dois ou mais sinais ópticos dando origem a um único sinal combinado.

Modem: Contração de Modulador / Demodulador. Aparelho contendo circuitos elétricos necessários para conectar equipamentos de processamento de dados a um canal de comunicações, geralmente através de modulação e demodulação do sinal.


TOPO

N

Nano (n): Unidade que equivale a 1 bilionésimo = 10-9. Exemplo: 1 nanômetro (nm) = 10-9 metros.

Núcleo: A parte central de uma fibra óptica onde é confinada toda a luz, por apresentar índice de refração mais alto que a casca que o envolve.


TOPO

O

OPGW: Optical Ground Wire - Tecnologia de fibra óptica que faz uso das torres de alta tensão, largamente utilizada pelas empresas de fornecimento de Energia Elétrica.


TOPO

P

PC: Physical Contact. Perda por Inserção: É a perda adicional de um sistema causada pela inclusão de emenda, conector ou outro tipo de componente no mesmo.

Perfil de índice: Maneira como o índice de refração varia na seção transversal de uma fibra óptica

Perfil de índice degrau: Característica de um tipo de fibra que apresenta índice de refração constante ao longo do núcleo e variação abrupta na interface núcleo-casca. Perfil típico das fibras ópticas monomodo standard.

Perfil de índice gradual: Característica de um tipo de fibra onde o índice de refração do núcleo varia continuamente em função da distância do eixo central. A variação pode se dar com perfil parabólico, típico de fibras multimodo, ou com perfil triangular, típico de fibras monomodo com dispersão deslocada.

Pigtail: Pequeno lance de cordão óptico, conectorizado em uma das pontas e terminando em um pedaço de fibra nua na outra. É usado para a ligação de equipamentos ópticos.

Potência: Taxa na qual a energia é absorvida, recebida, transmitida, transferida, etc, por unidade de tempo. Unidade: Watts.


TOPO

R

Radiação óptica: Radiação que engloba as luzes visíveis, infravermelhas e ultravioletas, correspondendo a uma faixa de comprimentos de onda de aproximadamente 4 nm a 1 mm.

Receptor óptico: Constitui-se de um fotodetector, geralmente um diodo de resistividade variável com a luz, que, ao receber a luz infravermelha, altera a tensão elétrica é então da corrente que o atravessa na freqüência da própria luz. Essa tensão elétrica é transferida para o conversor de sinais ópticos em sinais elétricos.

Rede: Uma série de pontos interconectados por canais de comunicações.

Rede de banda larga: Rede com capacidade de transportar uma enorme quantidade de informações ao mesmo tempo, em sinais de voz, vídeo e dados em alta velocidade.

Reflexão de fresnel: Uma perda de espaçamento adicional ocorre sempre que a luz passa entre dois materiais com índices de refração diferentes. A perda de Fresnel depende da diferença no índice de refração entre o núcleo da fibra e o material do espaço.

Repetidor: Regenerador de um sinal óptico atenuado. Através da combinação de um receptor e um transmissor, efetua a transformação do sinal óptico em elétrico e posteriormente reconverte em um sinal óptico regenerado. O uso de repetidores tem sido substituído pelo uso de amplificadores ópticos.

Revestimento colorido: Revestimento pigmentado de uma fibra óptica com o objetivo de identificação.

Revestimento primário: Revestimento de proteção de uma fibra óptica, mais comumente feito de acrilato. É aplicado em dupla camada logo após o processo de estiramento. O revestimento primário evita a formação de microcurvaturas, causadoras de atenuação e confere resistência mecânica à fibra.

Revestimento secundário: Revestimento aplicado, durante a fabricação do cabo óptico, sobre uma ou várias fibras, como proteção mecânica.

Ribbon: Estrutura de agrupamento de fibras ópticas, onde elas são coladas paralelamente, formando pequenas fitas. Essa construção permite a obtenção de cabos de pequeno diâmetro e com centenas de fibras ópticas.

Roteador: Os roteadores decidem qual o caminho que o tráfego de informações deve seguir. Operam nas camadas de níveis 1,2 e 3 do modelo de referência ISO/OSI e fazem o roteamento de pacotes entre LANs.

Router: Também designado de "gateway", o "router" é o elemento responsável por dirigir o tráfico dentro de uma rede de informação, decidindo qual a via mais rápida.

Ruído: Qualquer perturbação que tenda a interferir na operação normal de um aparelho ou sistema de comunicação. As unidades de medição de ruídos variam com os procedimentos utilizados para a ponderação de ruídos.


TOPO

S

SDH: Synchronous Digital Hierarchy - Sistema de transmissão síncrona com grande capacidade de transmissão e simplicidade de construção e gerência.

Sílica: Dióxido de silício em forma vítrea; quartzo.

Sílica dopada: Sílica contendo pequenas porcentagens de outros componentes químicos capazes de alterar seu índice de refração.

Span switching: Técnica que permite transferir o roteamento da transmissão em curso na fibra de serviço para a fibra de proteção.

Splitter: Derivador.


TOPO

T

Taxa de erros: Proporção de dados recebidos incorretamente (bits, elementos, caracteres ou blocos), em relação ao total geral de dados transmitidos.

TDM: Time Division Multiplexing (Sistema de multiplexação por divisão de tempo) - Alinham-se diversos sinais e transmite-se um byte de cada sinal por vez, num único canal de saída de alta velocidade.

Tight: Tipo de construção de cabos ópticos onde as fibras são fisicamente vinculadas ao elemento de tração do cabo.

Torre de estiramento: Equipamento usado para estirar o bastão de pré-forma, transformando-o em fibra óptica. É dotado de uma cabeça onde a pré-forma é aquecida até adquirir uma consistência "pastosa", e de um sistema de tracionamento, que controla o diâmetro da fibra estirada.

Torre de puxamento: O mesmo que torre de estiramento.

Transceiver: Dispositivo que transmite e recebe informação de um computador para uma conexão de rede.

Transceiver Óptico: Dispositivo eletrônico que transforma sinais digitais provenientes de uma fibra óptica em sinais balanceados de 8 vias (RJ 45) para acoplamento de HUBs.

Transmissão assíncrona: Um método de transmissão no qual cada caractere de informação é individualmente sincronizado, normalmente pelo uso de indicadores de "inicia / pára". (comparar com transmissão síncrona).

: Transmissão síncrona : Método de transmissão no qual a sincronização de caracteres é controlada por sinais de sincronização gerados nas estações receptora e transmissora (contrário de comunicações "inicia / pára"). Ambas as estações operam continuamente na mesma freqüência e são mantidas numa relação de fase desejada.

Transmissor óptico: Equipamento eletro-óptico que recebe um sinal elétrico e o converte para um sinal óptico equivalente, pronto para ser propagado por uma fibra óptica.


TOPO

U

UIT /ITU: União Internacional das Telecomunicações - Órgão da Organização das Nações Unidas (ONU) que procura estabelecer padrões mundiais. Também funciona como fórum de debates.

Ultravioleta: Radiação óptica com comprimentos de onda menores do que aqueles da radiação visível, aproximadamente entre 4 nm e 400 nm.

URA: Unidade de Resposta Audível; em Inglês, Interactive Voice Response, IVR) Equipamento similar a uma secretária eletrônica que atende o cliente através de mensagens gravadas. Graças a URA o cliente pode escolher o serviço desejado teclando um código no seu aparelho telefônico e, em alguns casos, obter informações sem ter que falar com o operador (exemplo: saldo bancário, limite de crédito, data de vencimento da fatura, etc).


TOPO

V

Velocidade da luz (c): Aproximadamente 300 mil quilômetros por segundo no vácuo.


TOPO

W

WAN: Wide Area Network (Rede de Área Ampla) - conceito que define as interligações de redes locais (LANs) que se encontram em cidades, estados ou países diferentes. Normalmente, a conexão é feita por fibra óptica, rádio digital, satélite ou linhas dedicadas de dados.

W-CDMA: Padrão CDMA de banda larga, que está sendo desenvolvido principalmente por empresas européias e japonesas.

WDM: Wavelength Division Multiplexing - Sistema de multiplexação onde diversos canais são alocados em comprimentos de onda diferentes para transmissão por uma mesma fibra. É o sistema que atualmente permite maior capacidade de transmissão.


 





RECOVERY INFORMÁTICA
São Luiz Gonzaga 620 - Guarani
- Novo Hamburgo - RS
Fone: 51 3066 7485 / 3594 7485 - recovery@recoveryinformatica.com.br


© Copyright 2011 - Todos os direitos reservados à Recovery Informatica Ltda

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player